“Contraste constante”

Por Biól.  MSc. George J. G. Santos *

* Biólogo,  Laboratório de Biologia de Porífera (LABPOR), Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia (UFBA). E-mail: balgeorge42@yahoo.com.br

Assim como muitas praias de Salvador, a do Porto da Barra é considerada uma das mais belas da capital. Os recifes (Fig. 1), as piscinas e as poucas ondas que arrebentam no local atraem banhistas de várias idades.

Figura 1: Diversidade de organismos em um dos recifes do Porto da Barra a 2 m de profundidade. Foto: George Santos.

Entretanto, essa beleza contrasta com a quantidade de lixo submerso (ex.: copos; latas; sacolas; garrafas plásticas e canudos), criando, assim, um “contraste constante” para aqueles que se aventuram em mergulhar naquelas águas onde competem: BELEZA versos SUJEIRA  (Figs. 2 e 3).

Figura 2: Copo descartável servindo de esconderijo para um cavalo-marinho (Hippocampus sp.). Foto: George Santos.

Ocasionalmente alguns surfistas, mergulhadores e banhistas voluntariamente se oferecem num pequeno “mutirão” para limpar e assim tentar amenizar a situação. Trabalho este que deveria ser feito pelos órgãos públicos, constantemente, para que este belo “cartão postal” fosse sempre mantido para as futuras gerações.

Figura 3: Cardume de latas entre o Farol e o Porto da Barra, Salvador, Bahia. Foto: George Santos.

Citação: Santos, G.J.G. 2011. Contraste  constante. Site: www.mundodabiologia.com.br. Acessado em: xx.xx.xxxx.

6 Comments to ““Contraste constante””

  1. By Eduardo Leal Esteves, 24 de fevereiro de 2011 @ 10:54

    Fala Bal! As praias de Recife e Porto de Galinhas apresentam os mesmos problemas. Agente sempre se depara com sacos plásticos flutuando entre algas e latinhas e copos plásticos no fundo. Vale ressaltar que a própria população é culpada disso, pois educação se adquire em casa. No Rio de Janeiro a situação é similar. Abraços.

    • By George (Bal), 14 de março de 2011 @ 10:24

      Olá brother, rapaz é isso mesmo… Fui em Porto ano passado e vi.
      Recentemente aconteceu um mutirão no Porto da Barra e retiraram colchões, pneus, roupas… Imagine?
      Já estou na UFPE com o Ulisses, vê se aparece aqui.

      Abraços!

  2. By Neildes Santan, 24 de fevereiro de 2011 @ 23:27

    De fato Bal.
    Mergulho há pouco tempo na Barra mas já pude observar essa triste realidade.
    Acho que falta além de um ação governamental para a retirada do lixo, um programa de conscientização para os turistas que frequentam o local. Programa esse que deveria focar não só nos brasileiros como nos estrangeiros que estão presentes também ali.
    Me disponibilizo para ajudar nos esforços da limpeza quando esta ocorrer.
    Abraços!

    • By George (Bal), 14 de março de 2011 @ 10:16

      Olá Neildes, bom dia.
      É uma “triste realidade” mesmo e o que pensas estás certíssima…
      Pode deixar que aviso sim, no momento estou em Recife (PE) mas sempre quando for à Bahia mergulhos rolarão.
      Mande seu e-mail que lhe aviso.

      Abraços.

  3. By orlins neyfarinha, 9 de abril de 2011 @ 23:33

    vlw baldrigão!grande mestre e doutorando!conhecimento é isso: teoria aliada a prática!parabéns remanescente de Betão

  4. By Emilio, 15 de abril de 2011 @ 18:22

    Fala Bal,

    Gostei do site!
    Mas tem uma coisa que eu discordo do que você falou.
    Mais do que os órgãos públicos tem a obrigação de limpar, a população tem que parar de jogar lixo nas ruas e principalmente no mar. Não adianta a gente ter um caminhão de lixo a cada esquina se as pessoas continuam jogando papel no chão.
    E é uma pena mesmo que um lugar tão bonito esteja com esse contraste constante!
    Grande abraço

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe seu comentário