Veneno ecológico para controlar ratos!!!

Por Luciano R. Alardo Souto *

* Biólogo, E-mail: lucianoalardo@yahoo.com.br

 

 

Os ratos urbanos estão entre as principais origens de zoonoses nas grandes cidades (e pequenas também). Uma pesquisa realizada por Antunes et al. (1995) na Universidade Federal de Pelotas comprovou uma eficiente receita no combate/controle desses roedores. O artigo fo publicado na revista Agrociência, 1(1):12-18.


Como fazer: Pegue uma xícara de qualquer feijão crú (sem lavar mesmo), coloque no multiprocessador, ou liquidificador (SEM ÁGUA) e triture até virar uma farofinha bem fininha, mas sem virar totalmente pó.

Onde colocar: Coloque em montinhos (uma colher de chá) nos cantos do chão, perto das portas, e janelas (sim, eles escalam as janelas), atrás da geladeira, atrás do fogão, atrás de tuuuuuuuuudo !

O que acontece: O rato come essa farofinha, dilicia… nhã, nhã, nhã… mas ele não tem como digerir o feijão (crú), por falta de substâncias que digerem feijão crú, causando assim um envenenamento natural por fermentação. Os ratos morrem entre 2 e 9 dias.

 

Detalhe importante: Ao contrário dos tradicionais venenos (racumim, por ex.), onde o rato morre e contamina animais de estimação, esse novo método evita a morte dos animais pet’s (e silvestres, dependendo da região) que não morrem por terem comido o rato envenenado. E a quantidade de feijão que ele ingeriu e morreu é insuficiente para matar um cão ou gato, mesmo porque estes gostam de MATAR pra comer…mas morto eles não comem. Se tiver crianças pequenas (bebês) ainda em período de engatinhamento, que colocam tudo na boca, não faz mal algum, pois o feijão para o ser humano, mesmo crú, é digerido. NÃO TEM CONTRA-INDICAÇÃO!

No entanto, não podemos esquecer, nem deixar de lado, que nem todos os roedores causam males ao homem. Além dos ratos, ou ratazanas, de esgoto, mais presentes no contexto ecológico urbano, o Brasil possui uma grande e complexa fauna de roedores, sendo a maioria formada por ratos silvestres, ou calungas para alguns. Segundo o livro Mamíferos do Brasil, existem 71 gêneros e 235 espécies de roedores (Oliveira & Bonvicino, 2006) e todos devem ser respeitados, conservados e preservados, inclusive com base na legislação vigente no País. Como a evolução busca a simplicidade e resulta na diversidade de forma geral, os roedores estão começando a se adaptarem em novos ambientes, principalmente por causa da cultura humana. Assim, como exemplo da falta de barreiras entre homens e animais, segue o link mostrando ratos surfistas em total harmonia com o meio sócio-ambiental:

http://www.melhoresdoyoutube.com/2010/12/roedores-radicais.html

Por isso, caso você leitor utilize essa técnica em regiões próximas a matas de diversos ecossistemas, tenha cuidado para que não afete a fauna local. Tente primeiro identificar de qual espécie se trata o rato que está invadindo sua residência, ou área de trabalho, e em seguida, se necessário, aplicar a técnica. Também é correto procurar o órgão de saúde ou zoonose mais próximo e solicitar ajuda de profissionais habilitados para tal.

SEJA CONSCIENTE. CONSERVE E PRESERVE A NATUREZA AO MÁXIMO POSSÍVEL!!!

 

Referências

ANTUNES, P.L.; BILHALVA, A.B.; ELIAS, M.C.; SOARES, G.J.D. 1995. Valor nutricional de feijão (Phaseolus vulgaris, L.), CULTIVARES RICO 23, CARIOCA, PIRATÃ-1 E ROSINHA-G2. Rev. Brás. De AGROCIÊNCIA, 1(1):12-18, Jan-Abr.

OLIVEIRA, J.A. & BONVICINO, C.R. 2006. Ordem Rodentia. In: Reis, N.R.; Peracchi, A.L.; Pedro, W.A.; Lima, I.P. (eds.). Mamíferos do Brasil. Londrina: UEL. ISBN 85 – 906395 – 0 – 9.

 

Citação: Souto, L.R.A. 2011. Veneno ecológico para controlar ratos!!!. Site: www.mundodabiologia.com.br. Acesso em: xx.xx.xxxx.

2 Comments to “Veneno ecológico para controlar ratos!!!”

  1. By Daniel Steinman Martini, 15 de junho de 2015 @ 12:56

    Boa informação: Mas parecem mentirosas, não existiam roedores no continente americano antes da colonização européia, então por que colocou essa informação aqui: Segundo o livro Mamíferos do Brasil, existem 71 gêneros e 235 espécies de roedores (Oliveira & Bonvicino, 2006)?

    • By Luciano Alardo, 5 de dezembro de 2015 @ 12:04

      Oi Daniel,

      os roedores já existiam nas Américas antes da colonização.
      Os de esgotos associados com colonização mais comuns são do gênero Rattus.
      Abs e qq dúvida entre em contato.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe seu comentário